TÉCNICO DE APOIO PSICOSSOCIAL

(Portaria nº 1 283/2006, de 21 de Novembro)
 

Ficha do Curso
Ficha do Curso
Pedido de Informações
Formulário de Pedido de Informações
Pré-Inscrição
Formulário de Pré-Inscrição

Destinatários:  Alunos com o 9º ano de escolaridade completo e idade máxima até aos 19 anos.

Local:  Escola Profissional Gil Eanes de Portimão (ver mapa de localização).

Apoios e subsídios:  Curso totalmente gratuito. Atribuição de subsídios de transporte e alojamento (de acordo com as condições em vigor na escola). Acesso aos apoios sociais do Ministério da Educação para alunos com o escalão 1 ou 2. Material de apoio aos módulos gratuito. Bolsa mensal de estudo no valor de 100€, atribuída aos alunos inscritos nos primeiros anos dos cursos profissionais, sendo válida para o ciclo de formação 2018/2021. As bolsas de estudo dependem da assiduidade dos alunos, ou seja, caso o aluno não frequente no mínimo 3 horas diárias contínuas ser-lhe-á descontado 5€ (por cada dia) da bolsa mensal de estudo.

Duração e certificação:  Estes cursos têm uma duração de 3 anos letivos e são de nível 4, o que significa que, conferem para além da equivalência ao 12º ano de escolaridade, uma certificação profissional na área do curso. Para além da conclusão do 12º ano de escolaridade, podes também tentar o acesso ao ensino superior.

Saída profissional: Técnico de Apoio Psicossocial.
Família profissional: Serviços de Apoio Social.


Perfil de desempenho

O Técnico de Apoio Psicossocial é o profissional qualificado apto a promover, autonomamente ou integrado em equipas multidisciplinares, o desenvolvimento psicossocial de grupos e comunidades no domínio dos cuidados sociais e de saúde e da intervenção social e comunitária.


As atividades principais a desempenhar por este técnico são:

1. Identificar, diagnosticar, analisar e avaliar diferentes domínios, contextos, situações, problemas e comportamentos sobre os quais seja necessário intervir;
2. Planear, organizar, desenvolver e avaliar programas, projetos, ações e atividades que dêem resposta às necessidades diagnosticadas;
3. Definir estratégias, métodos e técnicas de intervenção face a cada situação diagnosticada;
4. Identificar recursos, encaminhando, articulando, ou criando novas soluções para as situações detectadas;
5. Intervir junto de indivíduos, grupos, comunidades, ou populações com necessidades específicas, promovendo o seu desenvolvimento pessoal e sóciocomunitário;
6. Planear, organizar e promover atividades de carácter educativo, cultural, social, lúdicopedagógico e sócio terapêutico, em contexto institucional, na comunidade ou no domicilio, tendo em conta as necessidades do grupo e dos indivíduos, com vista a melhorar a sua qualidade de vida e a sua inserção e interacção sociais;
7. Promover a integração grupal e social fomentando a interacção entre os vários atores sociais da comunidade;
8. Elaborar relatórios de atividades;
9. Intervir em comunidades em que não sejam detectadas necessidades especiais, nomeadamente escolas, lares de terceira idade, centros de ATL;
10. Realizar atividades complementares de ação pedagógica com vista ao desenvolvimento integral de grupos e/ou indivíduos;
11. Promover o acompanhamento e a reinserção de crianças e jovens institucionalizados;
12. Participar em equipas pluridisciplinares que desenvolvam atividades no âmbito da Educação para a Saúde;
13. Acolher e acompanhar de forma personalizada o doente e seus familiares nos circuitos assistenciais das Unidades de saúde apoiando-os e motivando-os para o tratamento;
14. Contribuir para uma efectiva comunicação intra-institucional na relação com o doente e seus familiares;
15. Realizar atividades complementares de ação terapêutica, tendo em vista o bem-estar na recuperação e na integração social plena do doente;
16. Desenvolver atividades lúdico-terapêuticas nas Unidades de Saúde, avaliando e registando a conduta e o desempenho global dos doentes, e acompanhá-los em visitas de estudo relacionadas com a área ocupacional e saídas de socialização;
17. Colaborar na prestação de cuidados de higiene, alimentação e conforto dos doentes, tendo em conta o seu grau de autonomia e na manutenção da desinfecção, higiene e conforto das Unidades de Saúde;
18. Efetuar os registos da sua intervenção e recolher as informações que lhe forem determinadas pelos técnicos de nível superior;
19. Desenvolver ações de prevenção primária, secundária, terciária e de redução de danos;
20. Participar em equipas de despiste e acompanhamento dos indivíduos com sida e outras doenças infecto-contagiosas, desenvolvendo atividades complementares de ação terapêutica que promovam a sua reinserção social;
21. Efetuar trabalho de rua junto de cidadãos “sem abrigo”, toxicodependentes, prostitutos promovendo a sua reinserção social.